Brasileiros no Exterior

Vania Vaneau é nova geração da companhia francesa de Maguy Marin

Foto: Divulgação
Vania Vaneau
Vania Vaneau

Aos 27 anos, a paulistana Vania Vaneau integra desde 2005 o elenco de uma das mais importantes companhias da dança contemporânea: a da coreógrafa francesa Maguy Marin. Entre os bailarinos que lá estão, alguns há mais de 20 anos, como o chileno Ulises Alvarez, Vania representa a nova geração. As diferentes faixas etárias, no entanto, não criam hierarquias no grupo de Marin, que sabe obter unidade a partir das diferenças de cada integrante.

Vania comenta que narcisismo não existe no grupo de Marin. “Para ela o intérprete tem que ter simplicidade, para encontrar a própria expressão”. A partir de setembro, quando os europeus retomam atividades depois das férias de verão, Vania recomeça uma rotina exigente, que inclui ensaios, apresentações, turnês. “Trabalhamos muito, a carga horária é pesada na companhia”, diz Vania, que diariamente se locomove do centro da cidade de Lyon, onde mora, para o subúrbio de Rillieux-la-Pape, onde fica o centro coreógrafico de Marin.

As pesquisas sobre a linguagem de vídeo e improvisação, que gosta de desenvolver, ela nem sempre consegue manter constantemente durante as atividades na companhia Maguy Marin. Desde que entrou no grupo, Vania faz parte de quatro produções do repertório da coreógrafa, que ficam em permanente apresentação: Ha-HaUmwelt (mostrado no Brasil em 2008),Turba, o recente Description d’um Combat, além de May B,concebido em 1981 e considerado uma obra-prima de Marin. Dançar tais espetáculos, por si, confere privilégio especial à carreira de qualquer bailarino. Contudo, apesar do status profissional que desfruta no momento, Vania não quer perder os vínculos com o Brasil. Acredita que no país natal há uma energia artística singular e que a dança brasileira ainda ocupará um lugar mais expressivo no mundo. “Quero cultivar laços com meu país”, ela diz, preparando-se para a intensa jornada de apresentações durante o segundo semestre de 2009.