Dia a Dia

Foto: Dajana Lothert Displacement, de Mithkal Alzaghair.

11ª edição do Festival Contemporâneo de Dança traz artistas de cinco países

Festival Contemporâneo de Dança (FCD) chega à 11ª edição como ação de resistência cultural e de conexão com expressões que marcam a cena contemporânea internacional. A programação de 2018 reúne nove criações de artistas da França, Síria, Croácia, Brasil e Portugal, em 18 apresentações, que acontecem no Sesc 24 de Maio e no Centro Cultural Banco do Brasil, em São Paulo. A portuguesa Vera Mantero, o sírio exilado na França Mithkal Alzghair, e a brasileira residente na França Vania Vaneau, estão entre os destaques.

Foto: Sergio Gozález Álvarez La Ciudad de los Otros, com Sankofa

Tem dança no Mirada 2018

O festival bienal de teatro do Sesc São Paulo chega à quinta edição e inclui criações de dança na programação que homenageia a Colômbia. O Mirada  acontece na unidade do Sesc em Santos e também em teatros, espaços públicos e edifícios históricos dos nove municípios que integram a Baixada Santista. Ao todo, são 41 produções de teatro, dança, instalações, intervenções, performances, sendo 16 trabalhos nacionais e 25 internacionais.

Foto: Graziela Gilioli Ady Addor em foto de 2018.

Ady Addor: o legado de uma mestra

Ady Addor, grande mestra da dança brasileira, pioneira entre os bailarinos que fizeram sucesso fora do Brasil, morreu no último dia 2 de agosto, aos 82 anos. Com seu conhecimento exponencial sobre dança clássica, manteve-se aberta para adaptar seu vasto instrumental artístico às demandas dos bailarinos e autores contemporâneos. O legado de Ady pode ser melhor compreendido por meio de seu trajeto artístico, ressaltado em texto de Maria Claudia Alves Guimarães, e da maneira como transmitiu seus ensinamentos. Também são esclarecedores os depoimentos de quatro importantes artistas brasileiras – Iracity Cardoso, Mônica Mion, Lumena Macedo e Esmeralda Gazal – que conviveram com Ady em diferentes momentos.

Foto: Silvia Machado

GRUA (Gentlemen de Rua) estreia SETe nas ruas de São Paulo

Formado em 2002, o grupo reúne sete bailarinos que, quase diariamente, estarão apresentando a nova criação em 14 diferentes locais da capital paulista, que incluem desde avenida Paulista, a Praça da Liberdade e o Largo do Arouche, no centro, até o Largo da Batata em Pinheiros e a alameda Santo Amaro, na região sul da cidade. Em breve será lançado um filme sobre SETe, dirigido pelo cineasta Heitor Dhalia.