Dia a Dia

APCA premia dez categorias em 2016 e revela a intensidade da dança em São Paulo

Foto: Vitor Vieira
Foto: Vitor Vieira
Zélia Monteiro em Percursos Transitórios: premiada na categoria Interpretação da APCA 2016.

Em votação extraordinária, a APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) escolheu os premiados de 2016 na área de dança (veja lista abaixo).

Em 2015 a dança ficou sem premiação em razão de discordâncias entre os integrantes da comissão. Em 2016 a votação acabou não ocorrendo por falta de quórum. Em 1º de dezembro, dia seguinte à divulgação dos premiados deste ano das demais áreas artísticas, o presidente da APCA, José Henrique Fabre Rolim, anunciou que realizaria votação extra para que a dança não ficasse excluída, mais uma vez, do Prêmio APCA. Em seguida, uma nova comissão foi rearticulada e a nova votação ocorreu em 19 de dezembro de 2016, no Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo, sede da APCA.

170 trabalhos de dança na cena paulistana 

Para a premiação de 2016 da APCA foi realizado um levantamento dos trabalhos apresentados em São Paulo no decorrer do ano, que revelou um número importante e muito expressivo: 170 – um total que inclui 77 estreias de criações produzidas na cidade, 51 criações que estrearam em anos anteriores, 16 estreias produzidas em outros Estados brasileiros, 26 projetos especiais (mostras, instalações, ocupações, retrospectivas, filmes documentários etc.). Este levantamento, desenvolvido a partir da programação de dança de São Paulo em 2016, pode ser ainda maior, considerando trabalhos que não tiveram divulgação.

O certo é que a produção de 170 trabalhos comprova a intensidade da dança na capital paulista. Com diversidade de propostas, está presente nos mais variados espaços (das ruas aos teatros).

A premiação de dança de 2016 também ganhou mais categorias. Em vez de sete, como habitualmente ocorre em todas as áreas da premiação, a dança excepcionalmente tem dez premiados neste ano. A quantidade maior compensa, de certa forma, a falta de premiação em 2015. A lista dos premiados deste ano também está incluindo os indicados – em ordem alfabética, que compõem os três mais votados para a premiação de cada categoria.

A rearticulação da comissão de dança (que contou com quatro pessoas em 2014/2015 e em 2016 reuniu nove) também está gerando reflexões sobre novos encaminhamentos na premiação, de agora em diante – como possíveis seleções semestrais, a partir de planejamento conjunto já no início do ano para o acompanhamento da programação.

Aberta para os que já participaram e também para absorver novos integrantes a cada ano, a comissão de dança reúne, a princípio, jornalistas, críticos e pesquisadores atuantes, com comprovada atuação na área de dança e textos publicados em jornais, revistas, blogs, sites ou publicações acadêmicas e que não estejam envolvidos com a produção ou curadoria de trabalhos elegíveis para a premiação.

A APCA surgiu em 1951, originalmente para valorizar a produção teatral de São Paulo. A incorporação de outras áreas, como artes visuais, cinema, literatura, televisão e música, ocorreu em 1972. A área de dança foi incluída na premiação a partir de 1973. 

Sem fins lucrativos, a APCA é mantida pelo trabalho voluntário e pela contribuição anual de seus associados.

 

Premiados de dança – APCA 2016

Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgação

Marilena Ansaldi

Clique para ampliar

   Grande Prêmio da Crítica: Marilena Ansaldi

Demais indicados: Ballet Stagium; Quasar Cia. de Dança

 

Espetáculo (estreia 2016): “Devolve 2 horas da minha vida” – Projeto Mov_oLA/Alex Soares

Demais indicados: Percursos Transitórios – Zélia Monteiro/Núcleo de Improvisação; Procedimento 2 Para Lugar Nenhum – Vera Sala. 

Foto: Clarissa LambertFoto: Clarissa Lambert

Cena de Devolve duas horas da minha vida, de Alex Soares/Projeto Mov_oLA

Clique para ampliar

 

Espetáculo (estreia anterior a 2016): Dança Por Correio – Grupo Zumb.boys

Demais indicados: Graxa – Diogo Granato e Henrique Lima; Sociedade dos Improdutivos – Cia. Sansacroma.

 

Foto: A. WolkovierFoto: A. Wolkovier

Cena de Rubedo, de Mauricio de Oliveira/Cia. de Dança Siameses

Clique para ampliar

   Coreografia / Criação: Rubedo – Cia. de Dança Siameses/Mauricio de Oliveira

Demais indicados: Breve Compêndio para Pequenas Felicidades e Satisfações Diminutas – Luiz Fernando Bongiovanni/Núcleo Mercearia de Ideias; Corpo Sentado – Jussara Miller.

 

Interpretação: Zélia Monteiro, por Percursos Transitórios

Demais indicados: elenco do Ballet Stagium, por O Canto da Minha Terra; Irupé Sarmiento e Samuel Kavalerski, por Céu de Espelhos.

 

Revelação: Grupo Fragmento Urbano

Demais indicados: Bruno Gregório – 15 Minutos, da Mostra Dançographismus V do Balé da Cidade de São Paulo; Thiago Granato – Trança.

 

Espaço de Difusão: Centro de Referência da Dança da Cidade de São Paulo (CRD)

Demais indicados: Centro Cultural São Paulo; Museu da Dança.

 

Prêmio Técnico: Equipe técnica do Teatro Alfa

Demais indicados: André Boll, pela luz de Trança, de Thiago Granato; Hernandes de Oliveira, pela luz de Percursos Transitórios, de Zélia Monteiro.

 

Projeto / Programa: CCSP Semanas de Dança 2016 – Centro Cultural São Paulo

Demais indicados: Instalação Wabi Sabi, com Dorothy Lenner; Programação do Centro de Referência da Dança da Cidade de São Paulo (CRD).

 

Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgação

Ballet Stagium em O Canto da Minha Terra

Clique para ampliar

   Memória: Ballet Stagium – 45 Anos

Demais indicados: Coreografia – O Desenho da Dança no Brasil (Canal Arte 1 e Aiuê Produtora); Ocupação Herbert e Maria Duschenes (Itaú Cultural).

 

Integrantes da comissão de 2016: Amanda Queirós, Ana Francisca Ponzio, Cássia Navas, Flávia Couto, Henrique Rochelle, Iara Biderman, Renata Xavier, Simone Alcântara e Yaskara Manzini.


  • Leticia Sekito

    Parabéns ao premiados e indicados e a toda a classe artística de dança! Vamos em frente!!!!