Dia a Dia

Lara Pinheiro assume assessoria de dança na Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo

Por: Ana Francisca Ponzio

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Lara Pinheiro, nova assessora de dança da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, resume, em uma frase, sua principal diretriz: “A cidade na dança, a dança na cidade”. Parafraseando o lema “A cidade no Municipal, o Municipal na cidade”, lançado pelo Secretário Municipal de Cultura André Sturm para se referir à relação do Theatro Municipal com a população paulistana, Lara estende a ideia à dança para defender um acesso maior à área artística que representa.

Bailarina, coreógrafa, ex-diretora do Balé da Cidade de São Paulo, Lara explica que sua função será pensar e planejar a dança na cidade em toda sua extensão, como assessora direta do Secretário de Cultura.

André Sturm está iniciando sua gestão na Secretaria Municipal de Cultura, no governo do novo prefeito, João Doria.

Segundo Lara, o Secretário lhe pediu para alinhar as ações dos sete teatros e 11 centros culturais do município, entre eles o Centro Cultural São Paulo, assim como as atividades de fomento, programações, além da Escola de Dança de São Paulo e Balé da Cidade de São Paulo.

“Queremos expandir e descentralizar, promovendo uma interligação maior entre o centro e a periferia, para que a ação cultural se espalhe por toda a cidade”, diz Lara.

Para exemplificar, ressalta que o Balé da Cidade ocupará o município com apresentações variadas, adaptadas para espaços diversos. “Queremos que a dança se comunique com todos os tipos de público”, enfatiza.

Proposta semelhante conduzirá o Programa de Fomento à Dança da Cidade de São Paulo, ação pioneira lançada em setembro de 2006, que intensificou expressivamente a produção de dança na cidade. Garantido em lei (nº 14.071/05), o Fomento à Dança compromete-se a destinar recursos para pesquisa, produção, circulação e manutenção de companhias estabelecidas no município.

“Claro que não vamos mexer na lei, mas vamos repensar o conceito do Fomento. A dança precisa se comunicar com a população de forma mais efetiva e este objetivo também deve permear os trabalhos fomentados”, acrescenta Lara.

“A dança produzida sob o guarda-chuva da Secretaria da Cultura deve ser capaz de se comunicar com todos os tipos de público. Ou seja, o espetáculo que o Fomento vai contemplar tem que se comunicar tanto com o público da Galeria Olido quanto o de Cidade Tiradentes”.

No entanto, Lara reitera que sua função é alinhar ações e isto não significa que interferirá diretamente no Programa de Fomento, que vai funcionar sob coordenação de Patrícia Oliveira. “Teremos um tripé de gestão”, esclarece Lara. “Além do Fomento, teremos mais duas coordenações, uma para os equipamentos culturais e outra para a programação”.

Ela ainda enfatiza que os grupos não fomentados também receberão atenção da Secretaria, para intensificar a presença da dança na cidade.

Planejamento a médio e longo prazo é outra meta apontada por Lara, com o objetivo de otimizar programações e ampliar perspectivas tanto para artistas quanto para o público.

Sobre o Centro de Referência da Dança da Cidade de São Paulo (o CRD), Lara revela especial interesse. Com sede nos Baixos do Viaduto do Chá, onde funcionou a primeira escola pública de dança da Cidade – a Escola Municipal de Bailado – o CRD começou a funcionar em 2014 e tornou-se um ponto de confluência e acolhimento, aberto para a diversidade da dança paulistana. “O CRD é um modelo interessantíssimo, que inclusive merece ser replicado”, ela afirma.

Em estreita sintonia com André Sturm, Lara Pinheiro acredita no poder mobilizador da dança. Se depender dela e do Secretário, a dança deve ter protagonismo na cena cultural paulistana.