Dia a Dia

Vida e obra de Angel Vianna em foco no Itaú Cultural

Foto: Renato Mangolin

Um dos eventos de dança mais relevantes de 2018, a Ocupação Angel Vianna, que o Itaú Cultural realiza de 28 de fevereiro a 29 de abril, proporciona uma visão abrangente sobre a vida e a obra de uma das personalidades mais importantes das artes cênicas do Brasil.

A curadoria é compartilhada pela equipe do Itaú Cultural, formada pelos núcleos de artes cênicas e educação, junto com a bailarina e coreógrafa Ana Vitória.

Foto: Andre Seiti

Clique para ampliar

Pesquisadora do movimento, bailarina e coreógrafa, Angel Vianna mobiliza o universo da dança brasileira desde 1940, sempre investindo, em paralelo, na formação e na construção de consciência crítica e reflexiva sobre a área. Produz, cria e ensina dança desde 1948 e, ao lado do marido, Klauss Vianna (1928-1992), é uma das pioneiras da dança contemporânea no Brasil. Sua importância para a área é revelada nesta Ocupação do Itaú Cultural que, além da exposição com entrevistas gravadas, depoimentos, vídeos, fotos, documentos, manuscritos, registros em jornais, projeções de coreografias, também realiza vários eventos com a presença de Angel.

Um deles é a apresentação de O Tempo Não Dá Tempo, espetáculo que conta com a presença luminosa de Angel. Aos 89 anos, ela divide a cena com atrizes e atores de quatro diferentes gerações, que usam teatro, dança, performance e recursos multimídia para tratar sobre a percepção do tempo.

As apresentações de O Tempo Não Dá Tempo serão na Sala Itaú Cultural, Sala Multiúso e escadas, de 5 a 7 de abril (quinta a sábado às 20h30 e domingo às 19h30). Duração: 70 minutos. Capacidade: 70 lugares. Classificação etária: livre. Interpretação em libras. Entrada gratuita: público preferencial – 2h antes do espetáculo, com direito a um acompanhante; público não preferencial – 1h antes do espetáculo, um ingresso por pessoa.

Foto: Acervo Angel Vianna

Manuscritos de Angel Vianna, em exposição na Ocupação do Itaú Cultural.

Clique para ampliar

  No dia 28 de abril, 19h, Angel Vianna também mininistrará uma aula – intitulada  Aula do Papel – na Sala Multiúso do Itaú Cultural (piso 2). Duração aproximada: 180 minutos. 50 lugares. Inscrições de 3 a 10 de abril pelo site www.itaucultural.org.br.  

Em Aula de Papel, os participantes terão a chance de entrar em contato com a educadora Angel Vianna. Sem obrigatoriedade de experiência prévia em dança, os participantes interagem com uma folha de papel e realizam movimentos que levam a uma maior percepção do corpo, de sua presença e deslocamento no espaço. Será um desafio lançado pela bailarina, voltado à relação construída com o papel, a partir do toque e da memória criada durante a experiência.

 O espetáculo O Tempo Não dá Tempo estreou no Rio de Janeiro no início de 2018 e agora chega a São Paulo, por intermédio da Ocupação Angel Vianna.

Roto: Renato Mangolin

Angel Vianna em O Tempo Não Dá Tempo

Clique para ampliar

Com dramaturgia coletiva, que reúne Gregório Duvivier, Gonçalo M. Tavares, Oscar Saraiva e o elenco, O Tempo Não Dá Tempo tem direção de Duda Maia. A narrativa gira em torno do tempo, seja o presente, seja a falta dele ou mesmo a solidão diária. Em contraponto, traz a memória da infância para o agora, buscando o tempo da delicadeza.

Além de Angel Vianna, o espetáculo conta com artistas de várias gerações no elenco: Ciro Sales, Juliana Linhares, Marina Vianna e Oscar Saraiva. Para Duda Maia, a presença de cinco gerações de atores em cena potencializa a percepção do tempo.

Segundo a diretora, como o tempo de história de cada um é significativo na realização de um pequeno gesto, a leitura de cada espectador irá navegar por caminhos pessoais. Essa trajetória é contada pela mescla de linguagens do teatro, dança, performance e multimídia, levando público e elenco a percorrer os espaços da Sala Itaú Cultural, da Sala Multiúso e as escadas do instituto.

O espetáculo, construído a partir das sensações de interrupção, insistência, lentidão e falta de tempo, faz, ainda, um paralelo entre os tempos urbanos e os da poesia. De um lado, cenas curtas, interrompidas e confinadas, experimentam a temporalidade das relações que não se estabelecem e a fragilidade da vida no dia a dia. De outro, é tratado o tempo da delicadeza, do respeito e do cuidado, as memórias da infância e a saudade. Busca também a observação sobre o próprio corpo, tendo como consequência a reflexão sobre como e do que é feito o tempo.

O Tempo Não Dá Tempo faz uma homenagem ao presente, seja com ou sem leveza, mas por inteiro. É um espetáculo que mergulha essencialmente em uma experiência sensorial, dando possibilidade ao público de ser também um criador, visitando a sua própria memória, resgatando algo bom que viveu e voltar a ser criança, mesmo sendo adulto.

Sobre Angel Viana: http://www.itaucultural.org.br/ocupacao/angel-vianna/em-cena/?content_link=3