Programação Brasil

São Paulo - SP

Cia. Fragmento de Dança

Foto: Leo Lin
Foto: Leo Lin
Eu Outro, da Cia. Fragmento de Dança

Em alguns campos da arte, o “real” é estudado num território estético próprio. Foi o interesse por esta investigação que levou a Cia Fragmento de Dança a realizar a Ocupação Encontros na Cena Depoimento, com ações e espetáculos que discutem a expansão de materiais autobiográficos em propostas cênicas.

A programação reúne trabalhos das artistas Célia Gouvea, Juliana Moraes, Janaina Leite e Uxa Xavier, que se relacionam com o eixo do projeto. Encontros na Cena Depoimento também apresente Eu Outro, mais recente trabalho da Cia Fragmento de Dança.

Célia Gouvêa apresenta Alavancas e Dobradiças, solo que expõe momentos pessoais da trajetória da artista, como criadora e bailarina, que dança trechos de trabalhos autorais da década de 1980. Em Desmonte, Juliana Moraes relata uma experiência pessoal vivida quando soube que seu parceiro e codiretor enfrentava uma doença grave. Os dois trabalhos infantis de Uxa Xavier com o grupo Lagartixa na Janela – Varal de Nuvens e Breves Partituras para Muitas Calçadas – trazem situações que exploram memórias de espaços e memórias remotas, em tempos contemplativos da infância. Janaína Leite, que tem trabalhado em parceria com a Cia Fragmento de Dança há algum tempo, participa com espetáculo, oficina e discussão. Em Conversas com o Meu Pai, Janaina trata da relação com seu pai, que perdeu a capacidade de fala e se expressou através de bilhetes nos seis anos finais de sua vida.

A coreógrafa e diretora da Cia Fragmento de Dança, Vanessa Macedo, conta que criou um grupo de pesquisa que envolveu artistas das mais diversas linguagens para aprofundar questões relacionadas à autobiografia como abordagem para construção cênica em dança. “Esse projeto não somente traz para cena artistas que, de algum modo, se desnudam em suas obras através de relatos confessionais e atravessamentos de memórias pessoais, como também desenvolve essas questões por meio de oficinas e discussões que implicam investigar o modo como funciona a subjetividade nos tempos de hoje”, conta ela.

Novo espetáculo

Foto: Leo LinFoto: Leo Lin

Clique para ampliar

   Há algum tempo a Cia Fragmento de Dança tem investigado a fricção entre vida e obra, real e ficcional, envolvendo memórias, arquivos e depoimentos que resultam numa linguagem artística. No que vem chamando de Dança Depoimento, a companhia invade, expõe e divide ambientes íntimos, não somente para falar de si, mas para tornar-se o outro. Para a construção do espetáculo Eu Outro foram vários procedimentos, todos com o intuito de perceber como arte e vida dizem uma sobre a outra e como memórias que nos constituem não são propriedades privadas. A visita à casa dos avós que já não lhes pertence mais, o afastamento das redes sociais, a revelação de experiências traumáticas do corpo, tudo quer estar visceral para existir nesse tempo do agora.

“Algumas denominações como teatro documentário, teatros do real e cinema documentário sinalizam gêneros ou modos de produção específicos. No caso da dança, esse debate não tem fronteiras claras. Por se fundar no corpo, parece-nos que a linguagem da dança, no desenvolvimento de seus processos criativos, já discute autobiografia, subjetividade e experiência. Mas é sobre investigar a expansão desse material em propostas cênicas, e o entendimento de como isso se traduz ou não para o espectador, que a Cia Fragmento enfoca sua pesquisa artística”, explica Vanessa Macedo.

Ações formativas

Encontros na Cena Depoimento, como o nome diz, tem o desejo de promover encontros entre artistas e público para que se possa conviver e discutir não só sobre fazeres artísticos, mas sobre possibilidades de produzir arte nos tempos de hoje. Além dos espetáculos, uma série de ações formativas – todas gratuitas – contempla a programação.

Com coordenação de Vanessa Macedo, a Cia Fragmento de Dança, realiza durante a Ocupação, a oficina Investigações para uma Dança Depoimento. Os encontros prático-teóricos propõem discutir memória e autobiografia como disparadores de processos criativos.

A atriz e diretora Janaina Leite ministra a oficina A Cena Depoimento, onde irá discutir conceitos como o de performatividade e auto mise-en-scène, além do questionamento sobre os limites entre arte e vida.

As ações formativas incluem também o encontro O sujeito contemporâneo na cena / política-arte-vida com o objetivo de refletir sobre o contexto político, arte e vida, com a participação de artistas da ocupação e convidados. A ocupação ainda abre espaço para o compartilhamento de trabalhos de artistas jovens ou de trabalhos em processo, envolvendo o eixo memórias, arquivos e autobiografias nas artes, priorizando trabalhos dos participantes das duas oficinas programadas para a ocupação.

Programação

Espetáculos

Foto: Vitor VieiraFoto: Vitor Vieira

Célia Gouvêa

Clique para ampliar

  Alavancas e Dobradiças – Célia Gouvêa

29 e 30 de novembro, quarta e quinta-feira, às 21 h

Ambiguidade do nosso tempo, Alavancas e Dobradiças questiona a proliferação atual dos relatos pessoais cênicos, ao mesmo tempo em que promove um, a partir da pergunta “o que é a dança para você”. Lança reflexões e apresenta um combinado de extratos coreográficos de Célia Gouvêa, que atua nesta peça de dança.

Coreografia e Interpretação: Célia Gouvêa | Iluminação: Rafael Petri | Trilha Sonora: 2º movimento do concerto para violino e orquestra de Philip Glass | Produção: Ação Cênica Produções Artísticas | Duração: 45 minutos I Classificação indicativa: livre | Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada).

Conversas com meu pai – Janaina Leite

1º de dezembro, sexta-feira, às 21 h

Em uma velha caixa de sapatos, Janaina guarda uma infinidade de bilhetes que trazem frases escritas por Alair, seu pai, que sofreu uma traqueostomia e perdeu a capacidade da fala. Esse foi o ponto de partida de um work in process de quase sete anos, que culminou na morte do pai e que deixa como herança um amontoado de formas, esboços e questões com as quais a atriz tenta lidar em cena.

Concepção e Interpretação: Janaina Leite | Texto: Alexandre Dal Farra | Direção e cenografia: Janaina Leite e Alexandre Dal Farra | Vídeos: Bruno Jorge | Iluminação: Wagner Antônio | Figurino: Melina Schleder | Direção de Palco: Michel Fogaça | Duração: 60 minutos | Classificação indicativa: 14 anos | Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada).

Foto: Cris LyraFoto: Cris Lyra

Juliana Moraes

Clique para ampliar

  Desmonte – Juliana Moraes

2 e 3 de dezembro, sábado às 21 h e domingo às 18h30

Desmonte marca a volta de Juliana Moraes à cena solo. O trabalho foi criado como resposta a uma experiência pessoal angustiante, quando o parceiro de Juliana Moraes e codiretor da peça, Gustavo Sol, enfrentou uma doença grave. Poemas escritos por Nijinsky e gravações feitas pela própria artista são usados como estímulos para um corpo em curto-circuito.

Direção: Juliana Moraes e Gustavo Sol ⎜Coreografia e interpretação: Juliana Moraes ⎜Preparação de intérprete: Gustavo Sol ⎜Iluminação e direção técnica: Cristiano Pedott ⎜Adaptação de projeto de luz: Fernando Pereira ⎜Montagem e operação de luz e som: Armando Junior ⎜Produção: César Ramos e Gustavo Sanna / Complementar Produções ⎜Canção: None but the lonely heart (Op.6 No.6), de Pyotr Tchaikovsky – Interpretação de Christianne Stotijn e Julius Drake | Duração: 40 minutos | Classificação indicativa: 14 anos | Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada).

Eu Outro – Cia Fragmento de Dança

7 a 23 de dezembro, de quinta-feira a sábado, às 21 h

Investigando o que vem chamando de Dança Depoimento, a Cia Fragmento de Dança invade, expõe e divide ambientes íntimos, não somente para falar de si, mas para tornar-se o outro. Foram vários procedimentos, todos com o intuito de perceber como arte e vida dizem uma sobre a outra e como memórias que nos constituem não são propriedades privadas. A visita à casa dos avós que já não lhes pertence mais, o afastamento das redes sociais, a revelação de experiências traumáticas do corpo, tudo quer estar visceral para existir nesse tempo do agora.

Coreografia e Direção: Vanessa Macedo | Assistente de coreografia: Maitê Molnar | Intérpretes: Chico Rosa, Daniela Moraes, Diego Hazan, Maitê Molnar, Rafael Sertori e Vanessa Macedo | Luz: André Prado | Voz, violão e percussão: Daniela Moraes | Músicas: Wiked Game Cover e Antiphon: Hodie Christus natus est | Figurino: Daíse Neves e Cia Fragmento de Dança | Máscaras: Wander Rodrigues | Assistente de máscaras: Gab Menacho | Vídeos: Leo Lin e Chico Rosa | Fotos: Leo Lin | Preparação corporal: Rafael Carrion, Valéria Mattos e Vanessa Macedo | Designer gráfico: Gustavo Domingues | Produção Executiva: AnaCris Medina | Duração: 60 minutos | Classificação indicativa: 16 anos | Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada).

Foto: Laura XavierFoto: Laura Xavier

Cena do espetáculo Varal de Nuvens, do grupo Lagartixa na Janela, de Uxa Xavier.

Clique para ampliar

  Varal de Nuvens – Lagartixa na Janela

10 de dezembro, domingo, às 17 h

A performance dialoga com o movimento do vento, das brisas e das nuvens. Continuando a pesquisa em parques, praças e espaços públicos, Varal de Nuvens convida todos a contemplar e criar jogos em cantos imaginários, dançar com tecidos em varais ao vento. Leveza, suavidade e delicadeza se alternam nesta performance, abrindo espaço para o imaginário do espectador fluir e dançar junto com as performers.

Direção Artística: Uxa Xavier I Performers: Aline Bonamin, Andrea Fraga, Barbara Schil e Tatiana Cotrim I Figurinista: Tânia Marcondes I Produção: Ação Cênica Produções Artísticas I Duração: 40 minutos I Classificação indicativa: livre | Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada).

Breves Partituras para Muitas Calçadas – Lagartixa na Janela

17 de dezembro, domingo, às 17 h

Essa performance dialoga com o espaço urbano, onde a calçada é o elemento de pesquisa e criação. A calçada é um universo, um território cheio de paisagens, de objetos e modos de estar… “A calçada é mar? É rio? É córrego? É quintal? A calçada ficava a beira de uma criança… A calçada é casa, é cama, mesa, jardim, cadeira, sala, banheiro, teatro, lojinha, sala de dança, lugar de brincar, espaço de ir e vir, de esperar, de encontrar, de se despedir… A calçada é uma margem de uma ilha chamada quarteirão…” (Uxa Xavier).

Direção Artística: Uxa Xavier I Performers: Aline Bonamim, Bárbara Schil, Suzana Bayona, Tatiana Cotrim e Thais Ushirobira I Figurino: Joana Porto | Produção: Ação Cênica Produções Artísticas I Duração: 40 minutos I Classificação indicativa: livre | Ingressos: R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada).

Outras Ações

Compartilhamento de projetos das oficinas e artistas convidados com trabalhos em andamento

6, 13 e 20 de dezembro, quarta-feira, às 20h30

A Ocupação Encontros na Cena Depoimento abre espaço para o compartilhamento de trabalhos de artistas jovens ou de trabalhos em processo, envolvendo o eixo memórias, arquivos e autobiografias nas artes. Serão três noites de apresentação, priorizando trabalhos dos participantes das duas oficinas programadas para a ocupação.

Oficina

Investigações para uma Dança Depoimento

Coordenação: Vanessa Macedo, com a Cia Fragmento de Dança

8 a 17 de dezembro, sexta-feira a domingo, das 14 às 17 h

Encontros prático-teóricos que propõem discutir memória e autobiografia como disparadores de processos criativos. Proposições de percepção, sensibilização e composição para pensarmos em autoimagem e alteridade expandidos nas relações de afeto e toque na contemporaneidade.

Público alvo: atores, bailarinos e performers estudantes ou profissionais. Seleção: carta de interesse para o e-mail oficinaciafragmento@gmail.com até dia 26/11. Número de participantes: 15.

Oficina

A Cena Depoimento

Coordenação: Janaina Leite

Dias 08 e 15 de dezembro, sexta-feira, das 10 às 13 h

Discutir conceitos como o de performatividade e auto mise-en-scène, além do questionamento sobre os limites entre arte e vida, atrelando esses conceitos a práticas artísticas de artistas expoentes de diferentes áreas para pensar o trabalho criativo de produção de imagens de si na contemporaneidade.

Público alvo: interessados nos conteúdos relacionados a memórias, arquivos e autobiografias nas artes. Seleção: carta de interesse para o e-mail oficinaciafragmento@gmail.com até dia 26/11. Número de participantes: 30.

Encontro

O Sujeito Contemporâneo na Cena / Política-Arte-Vida

16 de dezembro, sábado, das 10 às 13 h

Neste encontro será promovida uma reflexão sobre o contexto política, arte e vida, com a participação de artistas da ocupação e convidados.

Sobre a Cia Fragmento de Dança

Foto: André PradoFoto: André Prado

Vanessa Macedo

Clique para ampliar

  No ano de 2002, Vanessa Macedo começou as suas primeiras investigações autorais em dança contemporânea, fundando a Cia Fragmento de Dança, em São Paulo (SP). Nos primeiros anos, criou alguns solos e duos e, a partir de 2007, concretizou o desejo de se estruturar num formato de grupo que pesquisa e produz continuamente, realizando temporadas na capital e participando de festivais e mostras nacionais e internacionais. Foram criados 15 trabalhos durante esses anos e a companhia já foi contemplada pelos principais editais de apoio financeiro a projetos de dança – como o Prêmio FUNARTE Klaus Vianna, o Programa de Fomento à Dança da Cidade de São Paulo, o Programa de Ação Cultural do Governo do Estado de São Paulo, edital Caixa Cultural, Festival Cultural Inglesa, entre outros. Mulheres como Frida Kahlo, Virginia Woolf e Tracey Emin inspiraram a companhia em suas criações, que envolvem discussões de gênero, autoimagem, fricção vida e obra. Atualmente, assuntos como dramaturgia na dança e o uso de material autobiográfico como linguagem cênica têm sido especialmente investigados para pensarmos nas relações que memórias e experiências pessoais criam com e no outro.

Funarte SP
Sala Renée Gumiel
29 de novembro a 23 de dezembro/2017
R$ 20 a R$ 10 (meia)
Atividades formativas: grátis

Alameda Nothmann, 1052, Campos Elíseos, São Paulo (SP), tel. (11) 3662-5177.

Capacidade: 53 lugares.

Bilheteria: abre 1h antes da apresentação.