Programação Brasil

São Paulo - SP

Cia. Sansacroma – Rebanho / Outras Portas Outras Pontes / Sociedade dos Improdutivos 

Foto: Léu Brito
Cia. Sansacroma em Sociedade dos Improdutivos
Foto: Léu Brito

Clique para ampliar

  A Cia. Sansacroma, criada em 2002 pela atriz, dançarina e coreógrafa Gal Martins, celebra 15 anos de atividade com apresentação de três criações no Sesc Belenzinho (SP) – Rebanho, Outras Portas Outras Pontes e Sociedade dos Improdutivos.

O ponto de partida das criações são as poéticas e políticas do corpo negro. A Dança da Indignação, conceito criado por Gal Martins, norteia a pesquisa de linguagem estética da companhia, cuja produção enfoca temas sobre a sociedade atual. O processo artístico da companhia é diretamente influenciado pelo território no qual atua: a periferia sul da cidade de São Paulo.

Programação da mostra no Sesc Belenzinho

Rebanho:

20 a 22 de abril/2018. Sexta às 21h30, sábado e domingo às 18h30. Sala de Espetáculos II. R$ 20, R$ 10 e R$ 6. Acessibilidade em LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais): 20/4.

Foto: Leo Brito

Espetáculo Rebanho, da Cia. Sansacroma

Clique para ampliar

  Rebanho se compõe de seis solos que pressupõem uma recusa à submissão, uma insistência em ser, em afirmar a existência. Resistir é o próprio ato de criar. Criar o possível para si próprio e para o mundo. São corpos lançados ao devir, no encontro com as diversas sobrevidas que os habitam, gerando catarses múltiplas e um estado constante de resistência. Reflexos e contaminações diversas através do processo de encontro com o corpo indignado e como essa poética afetam seu estado cênico através de estímulos e vivências pessoais, criando uma intersecção entre vida e arte, arte e vida.

Direção: Gal Martins. Assistente de direção: Djalma Moura. Intérpretes criadores: Djalma Moura, Malu Avelar, Ciça Coutinho, Flip Couto, Aysha Nascimento e Érico Santos. Trilha sonora: Melvin Santana e Uribe Teófilo. Técnico de áudio: Danilo Santana. Concepção e operação de luz: Piu Dominó. Orientação de pesquisa: Rodrigo Reis. Preparador corporal: Djalma Moura. Produção: Maria Fernanda Carmo e João Simões. AproximAção com o público: Ciça Coutinho.

Outras Portas Outras Pontes: 

4 a 6 de maio/2018. Sexta e sábado às 20h, domingo às 17h. Praça do Sesc Belenzinho. Grátis. Acessibilidade em LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais): 5/5.

Num primeiro momento, o espetáculo revela o olhar sobre o apartheid “gentil” existente no Brasil, onde negros operários são tratados como subcidadãos e os espaços físicos geram separações. Em seguida, as cenas mostram quando a consciência desta separação torna-se indignação e é transformada em materialidade poética, explorando questões como herança cultural e identidade do brasileiro.

Direção: Gal Martins. Direção coreográfica e concepção: Yáskara Manzini. Assistente de direção: Djalma Moura. Intérpretes criadores: Djalma Moura, Ciça Coutinho, Érico Santos, Malu Avelar e Aysha Nascimento. Intérpretes convidados: Victor Almeida e Tiago Silva Meira “Boogaloo Begins”. Figurinos e adereços: Mariana Farcetta. Trilha sonora: Cláudio Miranda. Operador de som: Danilo Santana. Produção: Maria Fernanda Carmo e João Simões.

Sociedade dos Improdutivos 

11 a 14 de maio/2018. Sexta e sábado às 21h30, domingo às 18h30. Sala de Espetáculos II. R$ 20, R$ 10 e R$ 6. Acessibilidade em LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais): 11/5. Audiodescrição: 12/5.

Foto: Raphael Poesia

Clique para ampliar

O questionamento central do espetáculo contrapõe o corpo que é socialmente invalidado ao corpo que é socialmente produtivo. O primeiro é marginal, portador de algum tipo de loucura. O segundo é medicado, incluído e sujeitado ao modo de vida capitalístico – corpo explorado até o esgotamento das suas capacidades produtivas. Trata-se da invalidez da reprodução. Força invisível chamada de loucura, transcender coletivo. A não-adequação social produtiva. É solidão. É a história, um itinerário da loucura em fusão para um embate contra o capital. O controle ocidental contrapondo a corporeidade do imaginário africano. São vozes potentes, negras, de territórios e seus povoamentos. Um cotidiano dos que estão à margem e dos que não estão. São vozes da “sociedade dos improdutivos”.

Direção: Gal Martins. Assistente de Direção: Djalma Moura. Intérpretes criadores: Aysha Nascimento, Djalma Moura, Ciça Coutinho, Malu Avelar e Érico Santos. Intérpretes convidados: Victor Almeida e Tiago Silva Meira “Boogaloo Begins”. Orientador de pesquisa e provocação cênica: Rodrigo Reis. Orientador de pesquisa de campo: Rodrigo Dias. Composição e arranjosmMusicais: Cláudio Miranda. Músicos: Claudio Miranda, Fábio Miranda, Pikeno PSS, Paulo Torres, Luís Henrique. Figurinos e adereços: Mariana Farcetta. Concepção de luz: Almir Rosa, Montagem. Operação de luz: Piu Dominó. Preparação corporal: Djalma Moura. Produção: Maria Fernanda Carmo e João Simões.

 

20 de abril a 13 de maio/2018
R$ 20; R$ 10; R$ 6

Rua Padre Adelino, 1.000, São Paulo (SP), tel. (11) 2076-9700. Estação de metrô: Belém.

www.sescsp.org.br